Fatores de Risco associados a alteração de linguagem

As alterações de linguagem e fala na infância são influenciadas por múltiplos fatores. Esses fatores podem ser considerados como agravantes no processo de desenvolvimento da criança. Portanto, os profissionais que acompanham a criança devem estar atentos, são eles:

  • Otites recorrentes nos dois primeiros anos de vida;
  • Fala pouco compreendida desde o início da aquisição;
  • Histórico de familiares com alterações de linguagem;
  • Problemas frequentes nas vias aéreas superiores;
  • Pouca estimulação de linguagem em casa;
  • Desnutrição;
  • Anemia nos primeiros anos de vida;
  • Gemelaridade
  • Intercorrências perinatais.
  • Síndromes genéticas

Além dos fatores de risco, os profissionais devem ficar atentos aos sinais de alerta que a criança pode apresentar durante o desenvolvimento, que indicam um possível atraso no desenvolvimento da linguagem, devendo esta ser encaminhada imediatamente para uma avaliação fonoaudiológica.

  • Não reage aos sons;
  • Não sorri e não estabelece contato visual;
  • Não produz nenhum som com mais de 6 meses;
  • Não compreende instruções simples com 1 ano;
  • Não fala palavras isoladas com 2 anos;
  • Não é possível entender 50% do que a criança fala por volta dos 3 anos;
  • Com 3 anos não constrói frases simples;
  • Usa mais gestos do que a fala, para se comunicar, aos 3 anos;
  • Não conta história com 4 anos;
  • Com 5 anos ainda faz trocas na fala que prejudicam entender o que diz;
  • Apresenta vocabulário reduzido;
  • Não conhece letras aos 7 anos;
  • Apresenta simplificações fonológicas depois dos 7 anos.